BrasilDireitos Humanos

Levantamento inédito mostra perfil das famílias rurais do DF

Um terço das famílias viveram insegurança alimentar

Um levantamento preliminar inédito traçou o perfil dos moradores da área rural do Distrito Federal, incluindo acesso a serviços como de energia elétrica, saneamento, asfalto, internet e policiamento. O levantamento, que abrange o ano de 2022, mostrou que cerca de um terço dessas famílias passaram por situação de insegurança alimentar, sendo maior a incidência em domicílios com menores de idade entre seus integrantes.

De acordo com a primeira Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílio Rural (Pdad), divulgada pelo Instituto de Pesquisa e Estatística do Distrito Federal (IPEDF), 58,66% dos moradores da área rural têm 39 anos de idade.

O levantamento identificou que 29,76% dos domicílios rurais viveram situação de insegurança alimentar nos três meses que antecederam as entrevistadas. Essa situação é caracterizada quando integrantes da família sentiram fome mas não se alimentaram por não terem dinheiro para comprar comida.

A pesquisa identificou que, entre as famílias que passaram por insegurança alimentar recentemente, 32,3% tinha pelo menos uma pessoa com 18 anos ou mais. “Em 37,57% [dos domicílios rurais em situação de insegurança alimentar] alguém, alguma vez, comeu menos do que achou que devia porque não havia dinheiro para comprar comida”.

Em 29,76% dos casos, alguém sentiu fome e não comeu, por não haver dinheiro para comprar comida; e em 30,85% alguém fez apenas uma refeição ao dia ou ficou um dia inteiro sem comer por falta de recursos financeiros.

Em 36,84% dos domicílios com pelo menos uma pessoa com até 17 anos de idade, alguém deixou de ter uma alimentação saudável e variada porque não havia dinheiro para comprar comida. E em 35,03% houve “ocorrência de alguém que não comeu a quantidade suficiente de comida” devido à falta de dinheiro.

Ainda segundo o levantamento, em 34,88% dos lares que passaram por insegurança alimentar diminuiu a quantidade de alimentos das refeições de algum menor de 18 anos. “Em 30,4% alguém, alguma vez, deixou de fazer alguma refeição, porque não havia dinheiro para comprar comida; em 27,47% alguém sentiu fome, mas não comeu porque não havia dinheiro para comprar comida; e em 28,4% alguém fez apenas uma refeição ao dia ou ficou sem comer”, detalha a pesquisa.

O estudo concluiu, portanto, que a questão da insegurança alimentar tem maior incidência em domicílios com menores de idade.

Infraestrutura

Com relação à infraestrutura, a Pdad Rural identificou que 44,54% das famílias rurais são atendidas por iluminação pública; 21,56% vivem em localidades com ruas asfaltadas; e 14,18% delas estão em locais com calçadas. Além disso, 9,99% são atendidos por rede de águas pluviais.

Há rede de coleta geral de esgoto sanitário em 54,76% dos domicílios, enquanto 36,8% fazem uso de fossas. Já a rede de energia elétrica atende a 79,12% dos domicílios pesquisados, enquanto redes improvisadas ou gambiarras foram registradas em 19,42% das residências.

A Pdad Rural 2022 foi feita em 208 comunidades rurais, abrangendo 24 regiões administrativas; 349 setores censitários; e 69% do território do DF. Foram feitas 9.647 visitas a 4.716 domicílios onde vivem 14.393 pessoas.

Fonte: Agência Brasil

Mostrar mais

Charles Dieu Sauveur

Graduado em Jornalismo pela Universidade Guarulhos (UNG). Amante das letras, música, cultura. Desde 2020 trabalha como Diretor, produção e gestão de conteúdo on-line.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo